SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

12º CONCUT: A discussão sobre o Programa de proteção ao Emprego (PPE)

8 de novembro de 2015
PPE12CONCUT

Mais uma falsificação do debate, desta vez da “Esquerda Marxista”

Ainda que seja difícil dar crédito a uma matéria que erra até no número de membros da Executiva nacional, eleitos no 12º CONCUT, o balanço do congresso publicado pela corrente Esquerda Marxista (EM, que saiu do PT e entrou no PSOL) é uma “obra de arte” em matéria de falsificação.

Nele, pode-se ler que “somente uma questão política foi a voto: sim ou não ao Plano de Proteção ao Emprego (PPE), que reduz salário e jornada e é bancado com dinheiro do governo, jogando no lixo a posição histórica da CUT de luta por redução da jornada sem redução de salário”.

Primeira falsificação: não foi a voto o “sim ou não” ao Programa (e não Plano) de Proteção ao Emprego (PPE), mas sim uma resolução que reafirmava a posição da CUT de “redução da jornada SEM redução de salários”, constatava que o ramo industrial (metalúrgicos) havia negociado com o governo o PPE, mas que o debate sobre o tema prosseguiria na central. Alex dos Santos (EM), ao lado de um delegado do Partido Operário Revolucionário (POR) falou contra essa resolução, projetada no telão e lida pela mesa.

E a falsificação continua: “A defesa do PPE foi feita por Júlio Turra (OT) e João Felício (Articulação Sindical). Turra foi entusiasticamente aplaudido por Wagner, presidente da CUT e outros dirigentes (ver foto ao lado) ”. É incrível! Na verdade, Júlio Turra falou contra o PPE defendendo a resolução pois ela “em nada prejudica a posição de quem é contra e ainda reafirma a posição da central de redução da jornada sem redução de salários” (veja no vídeo a posição de Júlio Turra sobre o PPE).

Até foto é manipulada

Quanto à foto de Julio aplaudido por Vagner Freitas e outros dirigentes, que reproduzimos, é da fala de defesa da chapa única, como se pode constatar no site da CUT. Aliás, a EM integrou a chapa única, não na Executiva (de 44 membros, e não 46 como publicou), mas com um dos 138 membros da direção nacional, indicado por uma dirigente da Articulação Sindical da Confeitam (municipais). Já o debate sobre o PPE foi feito no microfone do plenário!

Para dar base à sua versão do CONCUT, o artigo da EM é recheado de citações com trechos escolhidos a dedo para confirmar a fábula de que “encabeçou a luta contra essa aberração”.

Nele, chega a destilar coisas do tipo: “A ala majoritária (da Articulação Sindical) excluiu o setor ligado a Jaci Afonso (bancário) da executiva porque ele não aceitou apoiar o PPE”. Jacy Afonso, que se absteve na votação sobre o PPE, já havia comunicado antes do CONCUT que não continuaria, mas seus companheiros (as) de “setor” mantiveram-se na Executiva e direção da CUT.

A questão de fundo é que a EM recusou uma resolução que impede setores que defendem o PPE (que já é lei com validade até 2017) reivindicá-lo como posição da CUT e que reafirma a posição de “redução da jornada sem redução de salários”, para tentar aparecer como os únicos “revolucionários” num congresso, como escrevem em seu balanço, “profundamente burocrático e dedicado a defender o governo, fazer críticas inócuas e ignorar todas as lutas em curso no Brasil”. Triste papel!

Lauro Fagundes

Artigo originalmente publicado na edição nº 776 do jornal O Trabalho de 5 de novembro de 2015.



Outras publicações

15 de fevereiro de 2018

O governo golpista, depois da farsa judicial da condenação de Lula, voltou à carga para tentar aprovar a PEC 287 de desmonte da Previdência em fevereiro (ver box). O presidente da CUT, Vagner Frei­tas, anunciou greve geral no dia 19, diante dos milhares reunidos na Pra­ça da República em São Paulo em 24 de janeiro. […]


8 de fevereiro de 2018

Em 23 de janeiro a Assembleia Na­cional Constituinte (ANC) pediu ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) a organização das eleições presidenciais até 30 de abril próximo (o mandato de Nicolás Maduro terminaria em 2019). Num cenário continental marcado pela pressão do imperialismo dos Estados Unidos para impor governos a seu serviço – fraude nas eleições em […]


7 de fevereiro de 2018

Entre 22 e 28 de janeiro ocorreu em Salvador o 37º Congresso do ANDES-SN. Num momento em que Lula era julgado pelo TRF-4, a atual direção do sindicato esforçou-se para manter o ANDES isolado da realidade do país e dos próprios docentes. Com o falso argumento de que a de­fesa da democracia e do direito […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -