Cresce apoio jovem a Lula

Após o registro da candidatura de Lula, em 15 de agosto, as primei­ras pesquisas publicadas registraram a consolidação de sua preferência nas intenções de voto. Na juventude, em particular, Lula está, de longe, na dianteira.

São dados que revelam um movi­mento progressivo dos jovens frente à crise institucional que aumentou a violência, desemprego e cortes na educação. O fenômeno “Lula” penetra setores da juventude, que no fundo, resistem e querem seus direitos de volta e um futuro melhor.

Onda vermelha

O desespero dos juízes, dos candi­datos adversários e toda corja golpista, apoiada pela Globo, é que a candida­tura de Lula não para de crescer, e com força na juventude, após a prisão ilegal em abril. Segundo a última pesquisa Ibope, Lula chega aos 45% entre 16 e 24 anos e, 37% entre 25 a 34. Também é na juventude que na preferência par­tidária, o PT atinge o mais alto índice. Segundo o Ibope (21/08) o PT aparece com 29% de preferência partidária, entre os que tem de 16 a 34 anos ele é preferido por 32%.

O crescimento deste apoio tem a ver com a busca angustiante para sair des­sa situação draconiana, onde setores jovens, especialmente da periferia, se agarram ao candidato que é capaz de conduzir este processo.

Expectativas de futuro mais atraentes com Lula

Especialistas dizem que esta juven­tude “enxerga expectativas de futuro mais atraente com Lula, em relação à situação atual, de pouco emprego, de dificuldade para obter financiamento estudantil ou bolsa acadêmica” (BBC News). E, é fato que pioraram as con­dições de vida. São mais de 4 milhões de jovens desempregados entre 18 e 24 anos, atingindo 26,5% com maioria de mulheres e negros. Os cortes na educação tiram milhares do ensino público básico e superior.

Em carta à candidata do PT no RJ, Márcia Tiburi, a Juventude Revolução do PT de lá, denuncia que “no Vale Verde, em Volta Redonda, em 15 dias foram seis jovens mortos, Resende passa por ondas profundas de violên­cia”. São os sintomas particulares do desmonte do Estado após o golpe que pode ser revertido.

Quem, senão Lula com uma Constituinte pode revogar Emenda Constitucional 95 e a entrega do Pré-sal e retomar com força os investimentos na educação pública e o Fies? Por isso, é incompreensível a posição da UNE em “não apoiar nenhum candidato no 1º turno”. Parece que a entidade dirigida pela UJS, ligada ao PCdoB – coligado com PT -, não entendeu o recado majoritário dos jovens.

Turbinar a campanha!

A grande questão nesse mo­mento é ajudar essa massa de jovens a se mobilizar até 7 de outubro pelo voto Lula, 13. Por isso, é fundamental uma postura ativa da Juventude do PT com iniciativas concretas, como o Dia Nacional da Juventude com Lula indicado na agenda para dia 13 de setembro. Agora não se pode vacilar!

Nesta batalha, é possível vencer. É preciso materializar esse apoio nas ruas, nos bairros, escolas, faculdades, universidades e locais de trabalho, con­forme destaca a JR do PT “para vencer todos esses obstáculos, precisamos tornar a luta que hoje é de milhares em milhões. Lutaremos juntos com os jovens petistas para o PT se manter ao lado do povo oprimido, pois é fun­damental, para mudar radicalmente a realidade e nos garantir um futuro”.

De fato, nada é mais urgente do que turbinar a campanha dos jovens pela eleição e posse de Lula

P. Vilela