CUT envia mensagem em defesa de 300 sindicalistas espanhóis

Ato em 20 de novembro em Madri constitui Comissão Internacional. CUT se propõe a participar.

Escrito por: Luiz Carvalho fonte: site da CUT

O Artigo 315, parágrafo 3, do Código Penal da Espanha, um resquício do governo do ditador Francisco Franco, permite prender trabalhadores por participação em piquestes e greves e atingiu neste ano 300 dirigentes sindicais no país.

Em solidariedade a eles, organizações de todo o mundo, entre elas, a CUT, manifestam apoio a um ato que acontece nesta sexta (20), em Madri, de constituição da Comissão Internaiconal em Defesa dos 300 Processados pela Greve na Espanha e pela revogação do artigo 315.

Como já fez em  fevereiro deste ano, a Central volta a prestar solidariedade aos companheiros que podem pegar até três anos de prisão, caso sejam julgados e condenados pelo livre direito à mobilização.

Em vídeo e nota, a CUT reafirma o apoio à comissão, se prontifica a integrá-la e cobra a suspensão do processo contra os manifestantes. A Central destaca ainda que no 12º Congresso Nacional (CONCUT) adotou no Plano de Lutas uma resolução que trata do tema: “Contra a Repressão anti-sindical na Espanha onde mais de 300 sindicalistas são ameaçados punições baseadas na Legislação herdada do franquismo (ditadura fascista). Anulação das perseguições e processos em curso, em defesa do Direito de Greve e de organização de nossos companheiros espanhóis! “, aponta o texto.

Confira o vídeo em que o Diretor Executivo da CUT, Júlio Turra, fala sobre o tema.