Espanha: manifestações pela Saúde Pública

As manifestações estão se multiplicando em prol da Saúde Pública. Apenas em Sevilha, na semana passada, os moradores dos bairros de “Cerro del Águila” e “Montequinto” se mobilizaram, enquanto o pessoal do Serviço de Emergência também se concentrou em frente à sede do Serviço  de Saúde Andaluza para protestar contra cortes salariais impostos no auge da pandemia. Esta semana houve uma manifestação ante a Prefeitura de Andaluzia no dia 15, de um coletivo de aposentados, no 17 de junho no bairro de “Cerro del Aguila”, outra em 18 de junho no Parlamento da Andaluzia, de outro grupo de aposentados, no mesmo dia 18 os moradores do bairro Bellavista organizaram uma marcha para o Hospital de Valme, no dia 20 de junho a Maré Branca faz uma concentração – que é parte de uma mobilização estadual no Hospital Macarena.

Além disso, existem muitos outras mobilizações em bairros e vilarejos. Na semana seguinte estava prevista uma mobilização, convocada por cerca de cinquenta organizações, pela saúde e Serviços Públicos, para quinta-feira, dia 25 (embora finalmente essa mobilização não tenha emplacado), e no sábado 27, uma mobilização de organizações de Educação Pública, e no dia 28, uma chamada para a UGT e CCOO.

Esta proliferação de manifestações mostra que a população está ciente da grave situação em que deixaram a “saúde pública” os cortes feitos ao longo dos anos, e quem está disposto a lutar contra a destruição dos serviços públicos.

Tudo o que está faltando é um impulso unificador de todos essas mobilizações, que só podem vir das grandes organizações representativas da população trabalhadora. O que os líderes/dirigentes estão esperando?