SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

EUA tem onda de greve de professores

14 de maio de 2018

A greve dos profes­sores na Virgínia Ocidental mostrou o caminho a todos os professores dos Esta­dos Unidos (EUA). Em nove dias de uma greve apoiada por assem­bleias gerais maciças, de 23 de fevereiro a 3 de março, eles con­quistaram 5% de rea­juste e a cobertura so­cial que reivindicavam.

O desenvolvimento dessa mobilização é instrutivo: em 27 de fevereiro, os representantes sindicais anunciaram ter chegado a um acordo com o governador republicano sobre o aumento de salários, mas não sobre a proteção social, e propuseram o fim da greve. As assembleias gerais, porém, continuaram firmes em suas reivindicações e decidiram manter a greve, que passou a ser considerada ilegal.

Em 2 de março, o governador cedeu às reivindicações, antes que o Senado estadual da Virgínia Ocidental votas­se no dia seguinte contra o acordo, para depois voltar atrás, completan­do a demonstração da força que teve o movimento.

Desde então, greves de professores surgiram nos estados onde os salá­rios são mais baixos. Em Oklaho­ma, a ameaça de parar o trabalho conseguiu um aumento de salário para US$ 6,1 mil; os dez dias de greve que se seguiram, porém, não lograram elevar esse aumento para US$ 10 mil, nem obter outras reivindicações.

O sindicato OEA, de Oklahoma, decidiu interromper a greve, o que pegou de surpresa muitos professores. Sem a realização de assembleias gerais, os grevistas retomaram o trabalho, convencidos de que teria sido pos­sível continuar o movi­mento e conquistar to­das as reivindicações.

Antes da volta ao trabalho, uma deputada democrata de Oklahoma tuitou mensagem para agradecer “do fundo do coração” aos professores por sua greve, e lhes explicar o que significava não parar a luta: “Se vocês prosseguirem seu engajamento, e canalizarem o seu poder, mudarão a maioria em novembro”. Ela se referia às eleições de meio mandato, que re­novarão a maioria dos parlamentares nos EUA.

Greve ou apoio aos democratas?

O que concentra todos os proble­mas é a posição de apoio aos demo­cratas expressa por duas organiza­ções de massa, a NEA (Associação Nacional dos Professores, da qual a OEA é a seção de Oklahoma), que afirma ter 3 milhões de associados e está a meio caminho entre ser uma organização profissional e um sin­dicato de trabalhadores, e a AFT (Fe­deração Americana dos Professores), o sindicato de professores vinculado à central sindical AFL-CIO, com 1,5 milhão de associados. Ambas são sustentáculos tradicionais do Partido Democrata.

Em reação a essa situação, e à consequente timidez dessas en­tidades na defesa das reivindica­ções dos professores, a greve e as manifestações no Arizona foram organizadas sob a etiqueta “Arizona Educators United” (Professores do Arizona Unidos), com o apoio, no entanto, da AEA (seção da NEA). No dia 26 de abril, 50 mil profes­sores se manifestaram diante do Capitólio do Arizona.



Outras publicações

15 de maio de 2018

Milhares de trabalhadores da África do Sul (Azânia, como o povo chama sua nação) fizeram greve no dia 25 de abril, contra a decisão do presidente Cyril Ramaphosa de impor um salário mínimo de miséria e realizar uma reforma das leis tra­balhistas visando a restringir a ação dos sindicatos. A greve, acompanhada de atos públicos […]


14 de maio de 2018

A greve dos profes­sores na Virgínia Ocidental mostrou o caminho a todos os professores dos Esta­dos Unidos (EUA). Em nove dias de uma greve apoiada por assem­bleias gerais maciças, de 23 de fevereiro a 3 de março, eles con­quistaram 5% de rea­juste e a cobertura so­cial que reivindicavam. O desenvolvimento dessa mobilização é instrutivo: em […]


3 de maio de 2018

As eleições de 20 de maio na Ve­nezuela se dão numa situação de guerra de preços, escassez de alimentos e remédios, insegurança à qual se soma um caos do transporte, apagões de energia, manipulação do cambio do dólar paralelo. Tudo isso num país cada vez mais dependente de importações de bens de primeira necessidade e […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -