Executiva Nacional do PT saúda luta em defesa da educação

A Executiva reunida dia 9 fez uma discussão limitada da conjun­tura, apresentada por Fernando Haddad, focada na estagnação eco­nômica. O debate foi mais de acompanhamento das crises e ameaças do governo Bolsonaro, destacando-se a resistência à reforma da Previdência.

Questionado sobre a “Unidade progressista” noticiada na imprensa – se era um movimento ou o que – Haddad a reduziu a con­versas e artigos com personalidades como Flavio Dino (PCdoB), Boulos (PSOL) e Ricardo Coutinho (PSB), sem maior pretensão, e o nome foi Boulos quem deu.

Nas várias falas no debate, o im­pacto maior da conjuntura foi o crescimento das manifestações da comunidade universitária contra os anunciados cortes na educação. O que originou uma nota positiva que além de saudar a jornada deste dia 15 de maio , orienta os filiados, expres­sando a busca da reconstrução das relações do PT com a sua base social.

Dada a largada do Congresso?

O outro ponto mais importante foi a adoção da Regulamentação do 7o Congresso do PT, marcado para novembro. Abaixo, publicamos as principais datas próximas do calen­dário de preparação:

8 de junho – prazo final para novas filiações com direito a voto

8 a 26 de julho – prazo para inscri­ção de teses e chapas zonais, muni­cipais e estaduais

8 de setembro – eleição dos diretó­rios municipais e zonais, e delegados estaduais e nacionais

A integra está disponível em ht­tps://pt.org.br/pt-divulga-o-regu­lamento-para-as-eleicoes-internas­-e-7o-congresso/

Na discussão, se decidiu 5 deba­tes entre as chapas nacionais nas 5 regiões do país, atribuindo-se às Executivas Estaduais e Municipais a obrigação de fixar os seus. Foi acolhido o princípio estatutário do financiamento interno exclusivo das chapas, a ser detalhado, e ainda não se definiu o no total de delegados do Congresso, questões remetidas ao próximo Diretório (28 de junho).

Agora, pela regra fria do processo eleitoral direto (PED) em vigor, serão as direções das tendências e grupos que se agitarão para produzir teses e articular chapas, enquanto os 2 mi­lhões de filiados esperarão para votar em setembro. Quando o necessário seria discutir a orientação de alto a baixo com a militância para tirar, ao final, uma direção unida sobre os desafios da luta contra o desastre nacional criado por Bolsonaro.

O Comitê Nacional do Diálogo e Ação Petista vai discutir no próximo dia 18 como se colocar neste cenário.

Markus Sokol

 

NOTA DO PT EM DEFESA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

A Comissão Executiva Nacional (CEN) do PT saúda a mobilização iniciada nos últimos dias por estudantes, funcionários e professores em dezenas de cidades de vários Estados, em assembleias e passeatas contra os cortes na educação promovidos em todos os níveis pelo governo de Jair Bolsonaro.

A educação é pilar inegociável do futuro da nação.

Ao despejar sobre a educação as consequências de uma política nefasta de “ ajuste fiscal”, que só agrava a estagnação da economia, o Governo Bolsonaro revela a crescentes setores da população o seu total descompromisso com a construção do Brasil como nação. Ao contrário, se engaja em desconstruir muitas conquistas que temos orgulho de ter alcançado nos nossos governos, nos parlamentos e no movimento social.

A CEN do PT, informada sobre a convocação pelas entidades sindicais e representativas do setor, do Dia Nacional de Mobilização da Educação com paralisação nacional no dia 15 de maio, declara sua completa solidariedade, convoca a militância do PT e recomenda a seus parlamentares e instâncias a estreitar laços de colaboração com esta importante jornada de luta popular.

Em defesa da educação!

Não à reforma da Previdência!

Lula Livre”

09/05/2019, Comissão Executiva Nacional do PT