IBGE registra aumento da miséria e desigualdade racial

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou em 6/11 que 13,5 milhões de brasileiros vivem na miséria. O estudo considera miseráveis pessoas que vivem com menos de R$145 por mês. Desde 2014 são mais 4,5 milhões de miseráveis no Brasil.

A mesma pesquisa revela que a maioria das pessoas em situação de extrema pobreza são pretos e pardos (75%) e que os trabalhadores negros recebem em média 31% a menos que os brancos.

A desigualdade salarial entre brancos e negros é ainda mais elevada entre aqueles com ensino superior, brancos recebem por hora R$32,80, negros R$22,70, 45% a menos. O mesmo estudo mostra ainda que pretos e pardos são a maioria da população brasileira, compondo 55,8% do total.

Os números divulgados pelo IBGE são similares aos números divulgados pelo DIEESE, conforme a ilustração abaixo:

74889362_10157618477802356_3401239766262349824_o