SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

Intervenção militar na Venezuela?

17 de janeiro de 2018
venezuela-constituyente

Nem bem começou o ano de 2018 e uma série de artigos de opinião foi publicada em jornais de todo o mundo advogando uma in­tervenção militar de países vizinhos na Venezuela.

A ideia não é nova, mas é relançada diante do fracasso da oposição inter­na do país em todas as suas tentativas de derrubar o presidente Nicolás Ma­duro, cujo governo, especialmente a partir da convocação e instalação da Assembleia Constituinte, retomou a iniciativa política.

A tese que ganhou destaque foi a de Ricardo Hausmann, ex-ministro do Planejamento da Venezuela (1992-93) e economista de Harvard (EUA), num artigo reproduzido em vários países (a Folha de São Paulo o publicou em 4 de janeiro).

Hausmann defende uma “interven­ção feita por uma coalizão regional de forças”, a qual seria solicitada pela Assembleia nacional, controla­da pela oposição. Ele sugere “forças regionais”, pensando nos regimes pró-imperialistas do Brasil, Colôm­bia, Argentina e Peru, pois isso dis­pensaria autorização do Conselho de Segurança da ONU (onde Rússia e China poderiam vetar tal aventura).

Não faltaram declarações de go­vernos sul-americanos, inclusive do chanceler golpista Aloysio Nunes do Brasil, descartando tal hipótese. Mas “onde há fumaça há fogo”.

Recordemos que tais governos reacionários da região caracterizam o governo Maduro como uma “di­tadura” que atropela direitos huma­nos. O próprio Donald Trump, em agosto de 2017, já havia falado em intervenção militar como opção para a Venezuela.

Tirem as patas da Venezuela

Cabe ao povo venezuelano e so­mente a ele a decisão sobre seu pró­prio destino, por isso é inaceitável qualquer tipo de intervenção militar estrangeira no país vizinho, seja dos Estados Unidos, seja dos governos submetidos a ele na América do Sul.

Um outro tipo de pressão que se intensifica, é a do bloqueio eco­nômico encoberto praticado pelos Estados Unidos contra a Venezuela e sua principal empresa estatal que é a petroleira PDVESA (ver OT 819).

A responsabilidade das organiza­ções dos trabalhadores e dos povos oprimidos de todo o mundo é a de defender a soberania da Venezuela contra qualquer agressão imperialis­ta ou de seus lacaios.

Lauro Fagundes



Outras publicações

8 de fevereiro de 2018

Em 23 de janeiro a Assembleia Na­cional Constituinte (ANC) pediu ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) a organização das eleições presidenciais até 30 de abril próximo (o mandato de Nicolás Maduro terminaria em 2019). Num cenário continental marcado pela pressão do imperialismo dos Estados Unidos para impor governos a seu serviço – fraude nas eleições em […]


17 de janeiro de 2018

Nem bem começou o ano de 2018 e uma série de artigos de opinião foi publicada em jornais de todo o mundo advogando uma in­tervenção militar de países vizinhos na Venezuela. A ideia não é nova, mas é relançada diante do fracasso da oposição inter­na do país em todas as suas tentativas de derrubar o […]


9 de novembro de 2017

Não há mais desculpa para não se atacar especulação e desabastecimento A resistência do povo trabalhador aos ataques do imperialismo e seus aliados foi o que permitiu as vitórias políticas da eleição e instalação da Assembleia Nacional Constituinte e, em 15 de outubro, o triunfo nas eleiçõespara governadores. Assim foi dada uma nova oportunidade ao […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -