Manifestantes da saúde são detidos no Rio

No dia 23 de maio, profissionais da saúde organizaram uma manifestação próximo ao pedágio da Linha Amarela, pedindo melhores condições de trabalho, pagamento em dia dos salários, EPIs e testagens para os profissionais que estão trabalhando diretamente no combate à epidemia, além do fim das operações da PM nas comunidades. Havia também, entre os manifestantes, cartazes que pediam “Fora Bolsonaro”.

Os manifestantes foram levados à 26ª DP (Todos os Santos) e autuados por “infringir determinação do poder público” que prevê impedimento da “introdução ou propagação de doença contagiosa” (artigo 268 do Código Penal). Ou seja, profissionais da saúde que se manifestaram em defesa da saúde e por condições de trabalho diante da pandemia foram acusados de propagar a doença! Eles estavam seguindo todos os protocolos de proteção, usavam máscaras e permaneceram durante todo o ato distantes entre si.

Depois da autuação, foram liberados. Uma servidora na frente da delegacia desabafou: “Estamos fazendo um protesto de luto por todos os profissionais que morreram sem condições de trabalho. Nosso luto é pra dizer um basta a essa situação, nossos pacientes estão sendo mal atendidos por falta de insumos e medicamentos. O governo Witzel está com as mãos sujas de sangue pelas balas que tem seus trajetos na periferia”.