SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

“Meu delito é ser do PT” afirma Lula

6 de fevereiro de 2018
Lula na república dia 24

No momento em que acaba de ser publicado o acórdão da decisão fraudulenta do TRF-4, que estabelece um prazo de 12 dias para a defesa de Lula entrar com recurso, e após o julgamento do recurso ficará estabelecida a execução da pena (prisão de Lula), compartilhamos o artigo de Misa Boito, originalmente publicado no dia 1 de fevereiro no Jornal O Trabalho n° 821

—————— 

No dia 25 de janeiro, com o saguão da sede nacional da CUT lotado, a Comissão Executiva Nacional do PT confirmou a decisão de que Lula é o seu candidato à Presidência. Depois das mobilizações do dia 23 em Porto Alegre, e dia 24 em São Paulo, o par­tido e Lula não se intimidaram com a excrescência da decisão do TRF 4. Um plenário disposto a ir à luta ovacionou a decisão que veio reforçada da afirma­ção, feita pela presidente Gleisi, de que não existe plano B para o PT. O candi­dato é Lula e ponto final. Como disse o companheiro Wellington, governador do Piauí, ao encerrar seu discurso, “é por isso que eu afirmo, não é retórica, eleição sem Lula é fraude!”.

Wagner Freitas, presidente da CUT “lembrou” ao mercado que comemo­rou a condenação, feita sobre medida para a exigência do capital financeiro, que na luta em defesa da Previdência para derrotar a pretendida contrarre­forma de Temer “nós vamos parar seus bancos, suas empresas”.

E, realmente não há outro caminho, não pode haver trégua. Daí que soou destoante o discurso dos governadores da Bahia e Minas, respectivamente Rui Costa e Fernando Pimentel, de que o papel da candidatura Lula é de “unir o país”. Unir quem com quem? Os que querem extinguir o PT, com os petistas? Os que querem destruir a Pre­vidência com os trabalhadores? Os que querem defender a soberania nacional com os entreguistas? Não cola.

Lula “Não vou respeitar a decisão do TRF4”

No final do ato, ao declarar que aceitava a confirmação de sua candi­datura, Lula afirmou: “eles estão uti­lizando o aparelho de estado e suas instituições para fazer as coisas. Não precisa mais se desgastar colocando canhão na frente do congresso. Agora é feito através das instituições – cons­truindo um pacto do poder judiciário a mídia, as outras instituições desse país. Espero que esta candidatura não dependa do Lula. Esta candidatura só tem sentido se vocês forem capazes de fazê-la, mesmo que aconteça algo indesejável, é colocar o povo em mo­vimento”. Em relação à decisão do TRF4 declarou que “não tem nenhu­ma razão para respeitar a decisão de ontem. Porque quando as pessoas se comportam como juízes eu sempre respeitei, mas quando se comportam como se fossem dirigentes de partido político, contando inverdades a res­peito da pessoa, não citando sequer a razão pela qual tem um processo, realmente não posso aceitar.” E concluiu: “não estou sendo julgado por nenhum delito, e eu duvido que eles encontrem um delito na minha vida. Aliás eu tenho um delito, muito grande, sou do PT, e isso é um delito muito grande para eles”.


NO POVO NÃO COLA

Porta vozes do capital financeiro comemoram os 3 x 0 e confes­sam a operação. Como escreveu o articulista do Estadão, Celso Ming, “a partir do momento em que fica inviabilizada forte candidatura que atraia as atuais forças de esquerda, todas as bandeiras sis­temáticas da oposição [ao governo golpista e seu programa] também tendem a se enfraquecer.”, entre elas a defesa da Previdência. Mas a fraude de uma eleição sem Lula, no povo não cola. Na primeira pes­quisa feita pelo Datafolha depois da condenação no TRF 4, Lula continua, de longe, na frente de todos os demais candidatos.


DITADURA DO JUDICIÁRIO

No final do dia em que foi confir­mado candidato do PT, um juizeco de Brasília mandou confiscar o pas­saporte de Lula que tinha viagem prevista para a Etiópia, na madruga­da do dia 26, para participar de uma atividade sobre o combate à fome. Impedido de viajar, Lula gravou um vídeo para explicar sua ausência. Nele afirma que “estamos vivendo uma ditadura de uma parcela do judiciário, sobretudo a parcela que cuida da Operação lava Jato”.


DIA 23 EM PORTO ALEGRE

A cidade recebeu caravanas de todo o país e do estado. Apesar, do terrorismo do prefeito Marchezan (PSDB) e da mídia, apostando no caos e amedrontan­do o povo, a orientação, em especial da CUT, de não aceitar provocações e impedir mascarados entre os manifestantes, garantiu que mais de 60 mil pessoas marchassem na cidade afirmando em claro em bom som: “Eleição sem Lula é fraude!”


DIA 24 EM SÃO PAULO

Foi preciso enfrentar a Polícia Militar e o Judiciário que impediram que a manifestação ocorresse na Av. Paulista, para dar espaço ao MBL – mas a operação deu errado. O ato dos coxinhas reuniu no máximo 300 pessoas (UOL). Já os 50 mil que se reuniram na Praça da República para dizer “Eleição sem Lula é fraude!” fizeram uma grande marcha e terminaram a noite tomando a Paulista.

Misa Boito



Outras publicações

13 de abril de 2018

A reunião extraordinária da Execu­tiva Nacional (CEN), dia 9, em Curitiba, com Lula preso, afirmou a sua candidatura e outras inicia­tivas (ver notas abaixo). Ninguém defendeu “plano b”, nem na versão Haddad, lançada pelos assessores do ex-prefeito semanas antes, nem na versão Jaques Wagner, que só 48 horas depois foi a Curitiba, e cogitou de […]


9 de abril de 2018

No dia 6 e 7 de Abril uma enorme resistência em São Bernardo do Campo e que repercutiu com atos em todo o país desafiou as instituições apodrecidas deste país que ousaram decretar ilegalmente a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva. Por quase 48h Lula e o povo mobilizado ao redor do Sindicato dos […]


3 de abril de 2018

Publicamos abaixo a curta entrevista de Markus Sokol, da executiva nacional do PT e da coordenação do Dialogo e Ação Petista, concedida hoje ao jornalista Renato Dias, do Diário da Manhã. Renato Dias: Boa tarde! É o jornalista Renato Dias. Olá, uma pergunta apenas: A prisão após a condenação em segunda instancia não fere a Constituição […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -