O ANDES-SN continua na contramão

renova logoO 63º CONAD mantém sindicato de docentes apartado da luta dos trabalhadores

O 63º CONAD do ANDES-SN (Fortaleza, de 28/6 a 1º/7) foi o primeiro evento geral do sindicato depois das eleições (maio) em que emergiu uma alternativa com a Chapa 2, do Renova ANDES-SN. Das 130 seções do ANDES, só 61 registraram presença e na votação mais numerosa estavam presentes 57 delegados.

Uma oportunidade perdida

O CONAD era uma oportunidade para sintonizar o sindicato com as lutas em curso no país – que hoje passam pela exigência da liberdade de Lula e seu direito de ser candidato -, e responder à necessidade do sindicato se reencontrar com as lutas salariais e de carreira, já que a campanha salarial de 2018 está esgotada e tem resultado negativo, em grande parte, em função da falta de prioridade do sindicato com um tema que deveria ser o coração da luta da entidade.

O CONAD retrocedeu em relação ao debate travado nas eleições sobre a situação política, quando, fruto do combate do Renova ANDES-SN, a Chapa 1 (eleita) finalmente caracterizou Temer como golpista e se posicionou pela liberdade de Lula.embora recusasse qualquer luta em relação a isso. No CONAD, uma resolução do Renova propunha ajustar a linha do sindicato, resolução que chegou ao plenário a muito custo, por conta do bloqueio da nova diretoria.

A discussão foi sobre a manutenção ou supressão da resolução. A diretoria defendeu com o Renova a manutenção, anunciando que iria propor uma modificação, retirando a referência ao Lula Livre e responsabilizando pelo golpe o governo deposto. Mas nem isso satisfez a maioria da sua base que apoiou a proposta do PSTU de supressão da resolução. A resolução foi suprimida por 30 votos a 27.

Crise na nova diretoria

Este episódio mostrou uma crise na diretoria recém-eleita. Dos 27 votos a favor da resolução, 11 eram de delegados do Renova e 16 da base da diretoria. Outros 27 da base da diretoria somaram-se aos três delegados do PSTU, o que mostra o acordo sem princípios feito para compor a Chapa 1, com o único intuito de derrotar o Renova.

Mais uma vez, o CONAD gastou dois terços do tempo para discutir sobre toda sorte de questões e desprezou a luta sindical. No plano de lutas das estaduais, a única resolução foi marcar um encontro do setor para setembro, enquanto no plano das federais, a diretoria bloqueou proposta do Renova de iniciar de imediato a preparação da campanha salarial 2019, alegando que a de 2018 não se concluiu.
Eudes Baima


PLENÁRIA NACIONAL DO RENOVA

55 docentes presentes no CONAD se reuniram na Plenária do Renova, com vários novos aderentes, alguns vindos de vitórias em pleitos nas suas seções sindicais. Foi feito um balanço das eleições, estabelecido um plano trabalho e foi ampliada a coordenação do Fórum. Uma síntese das falas, as tarefas decididas, bem como a composição da nova coordenação serão divulgados nos próximos dias. Uma reunião nacional do Renova com vistas à preparação do congresso do sindicato está marcada para meados de novembro, em Brasília.