“O TRABALHO” completa 40 anos!

É com muito orgulho que come­moramos 40 anos de publicação ininterrupta de “O Trabalho” neste 1° de Maio de 2018.

jornal 0 O Trabalho

O número zero de nosso jornal foi lançado com data de 1° de maio de 1978, trazendo como lema “a eman­cipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores”.

“O Trabalho” se apresentava como um jornal empenhado na luta con­tra a ditadura militar, para a qual era decisiva a participação da classe trabalhadora organizada, daí a defe­sa que fazia de sindicatos livres e da construção de um partido operário.

Ainda que fosse palpável uma fermentação crescente nas fábricas contra o arrocho salarial imposto pela ditadura militar, não se podia prever que poucos dias depois do lançamento de nosso jornal come­çaria, em 12 de maio, a greve meta­lúrgica da Scania em São Bernardo do Campo que será o pontapé ini­cial para a maior onda de greves de massa ocorrida na história do Brasil e que, a partir do ABC paulista, vai se espraiar por todo o país e envolver o conjunto dos trabalhadores até 1980-81.

Essa coincidência fez com que o jornal O Trabalho pudesse registrar em suas páginas todo o processo de luta de classe que desembocou na criação do PT em 1981 e da CUT em 1983, como frutos dessa mesma onda de greves e mobilizações que abalou os alicerces da ditadura e transformou a classe trabalhadora em protagonista da vida política nacional desde então.

A continuidade de um combate

Se as edições mais antigas de “O Trabalho” hoje são fonte para pesquisas sobre as origens do PT e da CUT, sobre as greves de massa e sobre os debates que se faziam na vanguarda ampla do movimento operário, estudantil e popular na luta para botar abaixo a ditadura e conquistar a democracia, os seus 40 anos de publicação ininterrupta – ainda que a sua forma e periodici­dade tenham variado – demonstram a continuidade de um combate.

O jornal “O Trabalho” cobriu os altos e baixos da luta de classe, no Brasil e também no cenário mun­dial, registrou as grandes mobiliza­ções e também os golpes sofridos pela classe trabalhadora nas últimas décadas, sempre afirmando a con­tinuidade do combate para o qual foi criado: ajudar na construção da organização independente dos trabalhadores nos terrenos sindical e político, ajudar a or­ganização da juventude e dos setores populares em aliança com a clas­se trabalhadora na luta contra o capital e pelo socialismo.

Momentos desse com­bate estão registrados nas capas históricas de “O Trabalho” que ilustram esta página comemora­tiva.

Organizador coletivo

Hoje o nosso jornal é o órgão da Corrente O Trabalho do PT, seção brasileira da 4ª Inter­nacional, que participa em pé de igualdade com outros companheiros e companheiras de distin­tas origens políticas do agrupamento “Diálogo e Ação Petista” que tem um espaço próprio no jornal.

Aprendemos com a tradi­ção do movimento operário mundial, desde Lênin e em particular com a 4ª Interna­cional, que o jornal deve ser um “organizador coletivo”. Isto é, ao seu redor é que se constrói a organização revolucionária, através de sua venda e de sua utilização como instrumento para a discussão é que os militantes buscam ampliar suas relações políticas com trabalhadores e jovens, recrutar novos mi­litantes e ajudar no desen­volvimento da luta de classe.

Assine O Trabalho

Para nós a indepen­dência financeira é con­dição para a indepen­dência política, e o que garantiu a sua existên­cia de nosso jornal por tanto tempo foram os trabalhadores e jovens que o compraram. Por isso mes mo, ao com­pletar 40 anos de exis­tência, “O Trabalho” está em campanha por novas assinaturas, que­remos comemorar este aniversário dobrando o número de assintes.

Viva os 40 anos do jornal “O Trabalho”!

A redação