Pernambuco: coletiva de imprensa para exigir Liberdade para Luísa

Texto publicado originalmente em www.petista.org.br

Na tarde desta quinta-feira (19), parlamentares, militantes de partidos de esquerda, de movimentos sociais e sindicais declararam apoio à luta pela liberdade da advogada e ativista política Luísa Hanune, presa desde 9 de maio em um processo arbitrário e ilegal, por ordem de um Tribunal Militar da cidade de Blida, norte da Argélia. Na entrevista coletiva de imprensa, convocada pela deputada estadual Teresa Leitão (PT) e pelo dirigente do PT de Pernambuco, Edmilson Menezes, foi possível denunciar para os presentes o atual estado de perseguição política à Luísa e a outros dirigentes politicos no país.

Hanune é secretária-geral do Partido dos Trabalhadores da Argélia, ex-deputada federal demissionária e candidata por três vezes à presidência da República. Uma influente personagem política no país do norte-africano que vive uma situação revolucionária, com manifestações de massas. “São milhões que ocupam as ruas da Argélia todas as sextas-feiras há seis meses”, explicou Edmilson. A defesa da pauta democrática, da soberania nacional e do combate à pobreza, através da convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte, estão por trás da repressão sofrida por Hanune.

No próximo dia 23 de setembro haverá um julgamento de Luísa acusa de conspiração contra o regime, o que fez com que a campanha internacional pela sua liberdade aumentasse. “A população quer um novo regime, as pessoas querem novas leis, nivas instituições”, explicou Edmilson.

O ex-deputado federal Fernando Ferro e o ex-vereador do Recife Jurandir Liberal foram convidados a fazerem relatos sobre suas experiências tiveram pessoalmente com Hanune em eventos politicos na Argélia. Edmilson também anunciou que a bancada do PT na Câmara dos Deputados está se articulando para a ida de uma representação parlamentar visita à Argélia.

Diretório Nacional do PT aprova moção de solidariedade à Luísa Hanune
No DF, manifestantes exigem liberdade de Luísa Hanune
Em MG, prisão de Luísa Hanune é denunciada durante coletiva de imprensa

Estiveram na entrevista coletiva Júnior Afro (Setoria de Cultura do PT), Raissa Rabelo (Secretaria de Mulheres do PT), Tereza Souza (Fetraf/NE), Eleonora Pereira (Coletivo de Mulheres Defensoras dos Direitos Humanos), Igor Lima representando a deputada federal Marília Arraes (PT) e George Menezes representando o deputado estadual João Paulo Lima e Silva (PCdoB). DAP ajudou a organizar e esteve presente.

História
Louisa Hanoune nasceu em uma família pobre numa aldeia das montanhas da região de Jijel, em 1954, no início da luta de libertação nacional da Argélia. Foi a primeira filha de sua família a estudar. Fez estudos jurídi­cos e trabalhou como advogada. É co-fundadora do Partido dos Trabalhadores da Argélia e sua atual secretária geral, cargo equivalente à de presidente do partido aqui no Brasil.