PT Ceará não esteve a altura da grave situação

Em nota pública, o Diálogo e Ação Petista do Ceará criticou a decisão do governador Camilo Santana de solicitar a GLO (Garantia da Lei e da Ordem) para acabar com o motim dos policiais bolsonaristas. A GLO significa intervenção militar, ficando o verdadeiro poder nas mãos do Exército.

A nota do DAP alertava que o pedido de Camilo legitimava a política do governo Bolsonaro de militarização do país (como no INSS), e que este era o verdadeiro sentido do motim, abertamente insuflado por notórios bolsonaristas.

Na noite de 1º de março o motim foi encerrado. Bolsonaro e Moro, chamam para si a solução do problema. O diretor da Força Nacional, Aginaldo de Oliveira, elogia como “gigantes e corajosos” os amotinados, que haviam provocado um clima de terror nos bairros populares de Fortaleza e muitas outras cidades!

O DAP também exigia que o Diretório Estadual do PT se reunisse para debater o assunto e adotar uma posição. Mas o Diretório passou batido, limitando-se a uma nota de solidariedade a Cid Gomes, o senador que avançou contra os amotinados com uma retroescavadeira e acabou levando dois tiros.

A questão é muito grave. O DAP-Ceará segue exigindo um posicionamento da direção. O PT não pode permanecer calado numa situação como esta.