SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

Renova ANDES anuncia chapa para eleições em maio

7 de fevereiro de 2018
27544552_1627682540634541_621941133067520525_n

Entre 22 e 28 de janeiro ocorreu em Salvador o 37º Congresso do ANDES-SN.

Num momento em que Lula era julgado pelo TRF-4, a atual direção do sindicato esforçou-se para manter o ANDES isolado da realidade do país e dos próprios docentes.

Com o falso argumento de que a de­fesa da democracia e do direito de Lula se candidatar seria apoiar a candidatura do ex-presidente, a direção, coerente com sua posição de negar que houve um golpe no Brasil, tentou evitar o tema. Mas isso caiu por terra já na plenária de abertura, quando o representante da Conlutas (à qual o ANDES é filiado) pediu a prisão “de todos os corruptos do PMDB e do PT”, sendo respondido por sonora vaia e pelo coro de “golpista”.

Por iniciativa do Fórum Renova AN­DES, foi antecipada a discussão de uma moção apoiada por mais de 600 docen­tes em defesa da democracia e do direito de Lula se candidatar. A diretoria opôs a ela uma nota divulgada dias antes em que se posicionava “contra a justiça sele­tiva”. Já os delegados ligados ao PSTU, na linha do “fora todos”, defenderam uma terceira moção. A proposta do Renova obteve cerca de 100 votos (25%), a do PSTU cerca de 20 votos, sendo aprovada a da diretoria, o que não deixa de ser um avanço num sindicato que se ausentou da luta contra o golpe.

Note-se ainda que a própria defesa das universidades atingidas pela ação discricionária da justiça, como a UFSC e a UFMG, foi aprovada com a oposição da diretoria, numa votação apertada que rachou os delegados identificados com ela.

A orientação sectária que domina há anos o sindicato se mostrou com clare­za na discussão acerca da adesão ou não do ANDES-SN à Conferência Nacional Popular de Educação (CONAPE), convocada por 28 entidades, centrais sindicais, confederações e associações científicas. Com o argumento que o sin­dicato não tem acordo com as posições das demais entidades, foi defendida a não participação nesse fórum. Diante da proposta do Renova, a direção deu meia volta e, mesmo com muitas res­trições, apresentou nova proposta que admitia a participação, para depois aprovar uma cartilha denunciando as posições das entidades da CONAPE, enfraquecendo a decisão anterior.

Um formato anti-sindical

A concepção de “sindicato revolucio­nário” que predomina na atual direção, não apenas isola a categoria do conjunto da classe trabalhadora, como impede tratar com seriedade as questões sin­dicais de interesse da categoria. Temas como os planos de luta do setor das federais e das estaduais foram relegados aos trabalhos da madrugada do último dia do con­gresso, com plenário esvaziado e quórum duvidoso.

O formato do congresso prati­camente impede que o docente que quer lutar pelos seus direi­tos e participar das decisões se expresse: uma maratona de seis dias onde só os mais resistentes chegam ao final. Gastam-se horas e horas em discussões terminológicas e as lutas sindicais são jogadas para a madrugada. As emendas indesejadas pela direção são travadas em grupos mistos. Um formato que é um obstáculo à democracia sindical.

Surge uma alternativa

Expressando a insatisfação que vem da base surgiu uma alternativa a esse estado de coisas. No dia 23, ocorreu a Convenção do Fórum Renova AN­DES-SN com cerca de 100 docentes.

Num clima de entusiasmo foi deci­dido o lançamento da Chapa Renova ANDES-SN e indicados seus encabe­çadores: Celi Taffarel (UFBA), para presidente, Lurdinha Nunes (UFPI), para secretária-geral e Everaldo Andrade (USP), para 1º tesoureiro. Chapa em construção, cuja inscrição definitiva se dará até 27 de fevereiro.

Eduardo Vargas (UFRJ), na convenção, sintetizou a necessidade de renovar: “especialmente em relação à Conlutas, achamos que o ANDES se apequenou e obstaculizou o nosso papel na luta dos trabalhadores do nosso país. O tamanho que o nosso sindicato tem não comporta o tipo de sectarismo que existe nessa central e também na direção do nosso sindicato”. Benerval Santos, presidente da AD da Federal de Uberlândia afir­mou: “queremos um ANDES diferente, que agregue, que traga a base a participar, não esse ANDES aparelhado pela CSP­-Conlutas”.

Ao apresentar a chapa em plenário, Everaldo Andrade disse: “O Renova responde a problemas concretos da nossa categoria, da universidade, que a atual diretoria do ANDES-SN não vem respondendo”.

Agora é organizar a campanha e o apoio à chapa. Conheça as suas posições acessando:

https://renovaandes.org/

Contato: renovaandes@gmail.com

Eudes Baima

PSTU FORA DA SITUAÇÃO

Uma das consequências do cresci­mento do Renova foi a exclusão do Coletivo Andes em Luta (ligado ao PSTU) da chapa da situação. Em face do setor mais estridente da linha sectária predominante no congresso, é provável que a maioria da atual situação não quis tê-los em sua chapa. Contudo na votação de moções ficaram juntos para impedir o repúdio à condenação de Lula e a defesa da Venezuela contra a agressão imperialista.



Outras publicações

13 de abril de 2018

A reunião extraordinária da Execu­tiva Nacional (CEN), dia 9, em Curitiba, com Lula preso, afirmou a sua candidatura e outras inicia­tivas (ver notas abaixo). Ninguém defendeu “plano b”, nem na versão Haddad, lançada pelos assessores do ex-prefeito semanas antes, nem na versão Jaques Wagner, que só 48 horas depois foi a Curitiba, e cogitou de […]


9 de abril de 2018

No dia 6 e 7 de Abril uma enorme resistência em São Bernardo do Campo e que repercutiu com atos em todo o país desafiou as instituições apodrecidas deste país que ousaram decretar ilegalmente a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva. Por quase 48h Lula e o povo mobilizado ao redor do Sindicato dos […]


3 de abril de 2018

Publicamos abaixo a curta entrevista de Markus Sokol, da executiva nacional do PT e da coordenação do Dialogo e Ação Petista, concedida hoje ao jornalista Renato Dias, do Diário da Manhã. Renato Dias: Boa tarde! É o jornalista Renato Dias. Olá, uma pergunta apenas: A prisão após a condenação em segunda instancia não fere a Constituição […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -