SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

Retumbante derrota de Dória

29 de março de 2018
Servidores de SP

Após 19 dias da maior greve já re­alizada na cidade de São Paulo, a unidade dos servidores e professores impôs uma derrota ao prefeito Doria e vereadores aliados.

O governo, que pretendia aprovar até 6 de abril o Projeto Lei 621/16, o “PL do Confisco” (ver OT 823) que ataca os sa­lários e a Previdência do funcionalismo, foi obrigado a suspender sua tramitação por 120 dias.

Doria pretendia se cacifar para o mercado, privatizando a previdência dos servidores, encomenda feita pelos banqueiros ao governo golpista de Te­mer, também derrotada pela unidade da classe trabalhadora.

Doria tentou de tudo. Jogar a popu­lação contra o movimento, com pro­paganda na TV aberta e jornais, tentou enrolar as entidades numa pretensa negociação blefando quanto à quanti­dade de votos dos vereadores e distorceu números no projeto fraudulento que costurava o confisco dos salários dos ser­vidores. Ele também proibiu a imprensa sindical acompanhar a entrevista coleti­va na qual, de forma solene, anunciou que teria votos para aprovar o projeto. As assembleias massivas com 100 mil servidores e professores nas ruas foram determinantes para a derrota de Doria.

Unidade construída pela base

Essa vitória é resultado da resistência e da unidade dos servidores e professores. Durante a greve atos regionais foram unitariamente se forjando, pois, o ata­que era ao conjunto do funcionalismo. O Sinpeem (sindicato dos professores), o Sindsep (servidores), os sindicatos dos médicos, enfermeiros e arquitetos se unificaram a partir de uma vontade imposta pela base da categoria.

A derrota imposta ao governo Temer, quando enterramos a “reforma” da pre­vidência do governo federal, foi impor­tante para demonstrar que era possível derrotar a reforma de Dória.

A CUT jogou papel fundamental na defesa dos direitos da classe, se fazendo presente durante a mobilização e orientando os sindicatos a apoiarem a greve.

É uma vitória re­tumbante! O pre­sidente da Câmara Milton Leite (DEM), tentou de todas ma­neiras colocar em votação o PL, mas diante da forte resis­tência dos servidores decidiu suspender a tramitação por 120 dias, e constituir uma comissão para dis­cussão.

A greve foi suspensa em 27 de março. Agora é voltar com o espírito da vitória para as unidades escolares, unidades de saúde, bibliotecas, prefeituras regionais, áreas de parques e áreas verdes, enfim todos os locais de trabalho, com cabeça erguida. E, caso o governo se atreva a retomar o PL, estaremos prontos para voltar às ruas e à greve, com plena uni­dade do funcionalismo.

Doria sai da prefeitura após um ano e três meses para disputar o cargo de go­vernador pelo PSDB, com esta derrota na cabeça e outras virão. A luta unitária dos servidores municipais mostrou que é possível derrotar o PSDB e sua política que há décadas ataca os servidores e o serviço público no estado de São Paulo.

João B.Gomes



Outras publicações

13 de abril de 2018

A reunião extraordinária da Execu­tiva Nacional (CEN), dia 9, em Curitiba, com Lula preso, afirmou a sua candidatura e outras inicia­tivas (ver notas abaixo). Ninguém defendeu “plano b”, nem na versão Haddad, lançada pelos assessores do ex-prefeito semanas antes, nem na versão Jaques Wagner, que só 48 horas depois foi a Curitiba, e cogitou de […]


9 de abril de 2018

No dia 6 e 7 de Abril uma enorme resistência em São Bernardo do Campo e que repercutiu com atos em todo o país desafiou as instituições apodrecidas deste país que ousaram decretar ilegalmente a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva. Por quase 48h Lula e o povo mobilizado ao redor do Sindicato dos […]


3 de abril de 2018

Publicamos abaixo a curta entrevista de Markus Sokol, da executiva nacional do PT e da coordenação do Dialogo e Ação Petista, concedida hoje ao jornalista Renato Dias, do Diário da Manhã. Renato Dias: Boa tarde! É o jornalista Renato Dias. Olá, uma pergunta apenas: A prisão após a condenação em segunda instancia não fere a Constituição […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -