SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -
CORRENTE O TRABALHO DO PT

Rui Falcão: “É hora de cessar a parcialidade nos julgamentos”

28 de fevereiro de 2017
stf-entrada

Para o presidente do PT, é preciso dar um fim à perseguição politica promovida por certos juízes e procuradores e libertar Vaccari, Dirceu e Palocci

do Site o PT 27/02/2017

por Gil Ferreira

A soltura do ex-goleiro do Flamengo, Bruno de Souza, semana passada, por decisão liminar do ministro do STF, Marco Aurélio Mello, deveria levar a uma revisão geral nas decisões recentes da Suprema Corte nos requerimentos de habeas corpus sistematicamente denegados.

Como se recorda, Bruno foi condenado a 22 anos e 3 meses de reclusão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver da ex-amante Eliza Samudio. Estava preso há 6 anos e 7 meses, sem que fossem apreciados seus recursos de apelação.

Em despacho memorável, o ministro Marco Aurélio escreveu que a prisão preventiva decretada pelo Tribunal do Júri de Contagem (MG), de primeira instância, não se sustentava, pois, a despeito da opinião pública contrária ao réu, o “clamor popular não é suficiente” para negar o direito de responder em liberdade.

“A esta altura, sem culpa formada”, disse o ministro, “o paciente está preso há 6 anos e 7 meses. Nada, absolutamente nada, justifica tal fato. A complexidade do processo pode conduzir ao atraso na apreciação da apelação, mas jamais à projeção, no tempo, de custódia que se tem com a natureza de provisória”.

Vale lembrar que cerca de 40% dos mais de 600 mil presos nas penitenciárias brasileiras (na maioria jovens e negros) ali permanecem sem julgamento, a maioria sem culpa formada, escancarando as falhas do sistema judiciário brasileiro, consagrando a injustiça e favorecendo a proliferação de organizações criminosas.

Diante do excesso de prisões preventivas, sem motivo e prolongadas no tempo para forçar delações, o rigor jurídico do ministro Mello para um homicida confesso deveria estender-se ao conjunto das sentenças do STF. Afinal, por que manter presos João Vaccari, José Dirceu e Antônio Palocci – e há outros em situação semelhante — contra os quais só existem delações e nenhum prova consistente?

É hora de cessar a parcialidade nos julgamentos, dar um fim à perseguição politica promovida por certos juízes e procuradores e libertar Vaccari, Dirceu e Palocci.

Rui Falcão é presidente nacional do PT



Outras publicações

22 de setembro de 2017

Em troca de brutais cortes de gastos sociais e aumento de receitas (incluindo privatizações e aumento de impostos), o Estado do Rio de Janeiro obteve do governo federal um “socorro” chamado de “plano de recuperação fiscal”. No acordo anunciado no início de setembro, o primeiro passo do plano é a concessão no próximo mês de […]


21 de setembro de 2017

No dia 1º de setembro foi lançado o Projeto de Lei de Iniciativa Po­pular que exige um plebiscito oficial sobre as concessões e privatizações que o prefeito Dória (PSDB) pretende fazer na cidade com os equipamentos públicos. O objetivo da campanha “São Paulo não está à venda” é reco­lher 177 mil adesões, para enviar o […]


20 de setembro de 2017

Por ocasião da retirada das tro­pas da Minustah, entrevistamos David Oxygène, membro do Movi­mento de Liberdade, Igualdade dos Haitianos pela Fraternidade (Mole­ghaf) e da Coordenação Haitiana pela retirada das tropas da ONU. David é um dos aderentes, no Hai­ti, da preparação da 9º Conferência Mundial Aberta (Argel, de 8 a 10 dezembro), convocada pelo Acordo […]


SITE DA CORRENTE O TRABALHO DO PT - TENDÊNCIA INTERNA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - SEÇÃO BRASILEIRA DA 4ª INTERNACIONAL -