Vem aí o Encontro Nacional da Juventude Revolução!

Dois meses de muita mobilização e luta! Essa é a marca da pre­paração do 15º Encontro Nacional da Juventude Revolução (ENJR). O encontro acontecerá em São Bernardo (SP), de 3 a 5 de agosto, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, ali onde Lula fez o histórico discurso antes da prisão injusta e ilegal em abril.

Os preparativos finais estão a todo vapor. A “correria” é para garantir inscrições pelo site, fechar lista dos ônibus, reunir delegações, garantir passagens que faltam, buscar contri­buições antes de seguir viagem rumo a São Bernardo do Campo.

A expectativa dos organizadores é reunir centenas de jovens de diversos estados para debater a conjuntura política, os desafios na luta pela candidatura de Lula e decidir tornar­-se Juventude Revolução do PT. Na programação, além de atividades culturais está previsto também ir ao Encontro Nacional do PT, em 4 de agosto, que oficializará candidatura.

“Fazer valer nossa vontade”

O desmonte do estado impacta cruel­mente este setor que amarga aumento do desemprego, violência e cortes de verbas na educação. Tentam retirar direitos agora e destruir o futuro, mas a resistência que teima em prosseguir é o que alimenta este encontro. “Vou ao ENJR para debatermos a atual política com outros jovens do país. Tenho con­vicção que Lula é a nossa melhor alter­nativa” afirmou Renan Cunha de Volta Redonda. No fundo, cresce a insatisfa­ção com as instituições e amadurece no seio de setores jovens a alternativa Lula presidente, único candidato que, uma vez eleito, tem condições de convocar uma Constituinte. Na busca por esta saída democrática, milhares de jovens se aglutinam na campanha, fazendo dela bandeira prioritária para garantir suas pautas específicas.

Esse é o centro da discussão do ENJR. “Vou para mostrar aos 33% que acredi­tam em Lula que não estão sozinhos e, que somos mais do que 33%. Mostrar que não vai ser por este meio judicial podre que Lula será liberto. Precisamos ir para as ruas fazer valer nossa vontade. Lula livre!” disse Tiago Coutinho, estu­dante de Serviço Social da Universidade Federal da Bahia, onde um ônibus está confirmado.

Uma Juventude Revolução do PT

A JR prepara este encontro deba­tendo consolidar a aproximação com o partido, o qual sempre defendeu frente aos ataques da burguesia e suas instituições, como o judiciário e, no qual sempre votou nas eleições. Não por acaso, essa identificação se expressa num grande número de seus militantes filiados ao PT.

Neste processo, há aqueles que têm dúvidas sinceras se uma JR do PT “iria ferir a autonomia da organização… se não seria uma submissão ao PT?”. Na verdade, não, justamente porque ao virar JR do PT serão mantidas suas posições, como destaca Nelsi Souza, diretora do DCE UFBA: “Acredito que a JR do PT deve continuar a luta por suas bandeiras com autonomia para ser um importante ponto de apoio da juventude na luta pela retomada da democracia, pela liberdade de Lula, por sua eleição e posse”. Assim o fez, ao defender alianças com setores anti-imperialistas e radi­calmente democráticos no Congresso da JPT e, dessa forma deve seguir. Esta luta hoje se traduz, por exemplo, no apoio incondicional à iniciativa da JPT Pernambuco em defender a candidatura de Marília Arraes ameaçada pela cúpula do partido em nome de uma equivocada aliança nacional com o PSB.

É a postura que a JR também tem, na prática, no combate conjunto com os jovens petistas, por exemplo, no fortalecimento desta luta nas entidades estudantis como ocorreu no recente Conselho de Entidades Gerais da UNE em SP onde “a ação da juventude do PT foi crucial para aprovar que a UNE con­voca a Marcha de 15 de agosto a Brasília para registrar a candidatura de Lula” afirmou Hélio Barreto da Executiva da entidade e da JR Brasília, que também levará ônibus ao encontro.

Certamente, é um desafio, numa conjuntura adversa com chuvas e trovoadas, mas agarrando-se na única ferramenta que pode enfrentar essa tempestade e fazer valer as pautas jo­vens como a desmilitarização da PM, o passe livre, mais creches, verbas e vagas nas universidades, assistência estudantil de verdade e retomada do FIES. Como disse Sarah Lindalva da direção da JR e da JPT, “Nós queremos um futuro e precisamos batalhar para ajudar abrir uma saída política que é Lula presidente com Constituinte. Para isso, é impor­tante nos somar aos jovens que tem se dirigido ao PT e nos apropriarmos dele como nosso instrumento de luta. Este é o melhor, e único caminho”.

Paulo Riela