Previdência: de que lado está Wellington Dias?

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), ao afirmar que a exclu­são de Estados e municípios da contrar­reforma da Previdência seria “reforma de meia-sola, de faz de conta”, ficou ao lado do tucano Dória de São Paulo, que também se insurgiu contra essa hi­pótese aventada pelo relator da PEC 06, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP).

Em entrevista para o site Poder360, Wellington bate de frente com a posi­ção do PT e sua bancada parlamentar de barrar a PEC 06, defendendo a “re­forma”: “Os governadores já fizeram o que a União não fez No caso do Piauí, já implantamos a alíquota de 14%, Previdência complementar, medidas em relação a aposentados e pensionistas”.

Em seguida ele discute sobre núme­ro de votos na Câmara e propõe seus ofícios para que se chegue aos 308 necessários para aprovar uma PEC: “Quem apresenta a proposta de tirar os Estados faça uma pergunta: com isso você garante que tem os 308 votos? Eu desconfio que não. O que eu ouço den­tro do Parlamento é gente que diz que só tem 110 votos, 250, o mais otimista acha que tem 270. Será que os gover­nadores a partir de um entendimento não têm 3 votos aqui? 3 votos acolá? Eu entendo que sim. A pior reforma é aquela que não é aprovada”.

O jornal “O Globo” (01/06) tam­bém cita Wellington Dias: “Na minha opinião um bom entendimento, com os estados e municípios juntos é o que permite uma proposta que garanta equilíbrio ou será um oxigeniozinho para este mandato”.