Homenagem a Edmilson Menezes, combatente da 4° Internacional

A Corrente O Trabalho do PT, seção brasileira da 4° Internacional,  fará neste sábado (27) um ato em homenagem ao camarada Edmilson Menezes.

Para a 4ª Internacional e sua seção brasileira, a corrente O Trabalho do PT, a morte precoce do camarada Edmílson é uma perda inestimável, cuja responsabilidade deve ser atribuída ao sistema capitalista mundial em crise, incapaz de proteger a humanidade de um vírus, e aos governantes, responsáveis no Brasil pelo total descontrole da pandemia.

Edmílson Menezes, ao longo de quatro décadas, foi militante e dirigente da seção brasileira da 4ª Internacional, tendo sido um dos fundadores do PT e da CUT em Pernambuco.

Nascido em Floresta, no sertão pernambucano, em 25 de novembro de 1951, Edmílson foi criado em Patos (PB) e, graças à sua determinação, superou barreiras sociais para ingressar no curso de Engenharia Civil da UFPE, tornando-se professor de Física na rede particular de ensino do Recife desde o final da década de 70 e na rede estadual desde os anos 90.

Sua militância o levou a ser eleito dirigente do Sinpro-PE e depois do SINTEPE. Ela sempre foi marcada pela defesa intransigente da independência política e sindical da classe trabalhadora. Ele era membro da Direção Executiva do PT-PE e da Coordenação do Diálogo e Ação Petista de Pernambuco (DAP-PE), tendo participado também de sua coordenação nacional.

Todos e todas militantes que conviveram com Edmílson sabem do papel central que ele jogou como dirigente. Sua disciplina e determinação em transformar objetivos em resultados concretos em todos os âmbitos da atividade política – dos mais modestos aos mais abrangentes – eram exemplares.

A contribuição política do camarada se deu não só na Corrente O Trabalho e nas atividades da 4ª Internacional nas quais participou dentro e fora do Brasil, mas se espraiou junto aos companheiros e companheiras do movimento dos trabalhadores em Pernambuco, em particular os cutistas e petistas. A luta pela emancipação dos trabalhadores perdeu um dos seus combatentes mais firmes.

A homenagem ocorre as 16h, através de um ato presencial e virtual, com transmissão pelo facebook de O Trabalho.

Artigo anteriorEstados Unidos: um plano de estímulo marcado pelas tensões
Próximo artigoJornal O Trabalho n°880