Jovens petistas declaram voto nulo no 2° turno do Rio

Militantes da Juventude Revolução do PT declararam, em carta à juventude, o voto 13 no segundo turno do Rio, recusando a alternativa de apoio a Paes ou Crivella. Leia abaixo a declaração.


No 2º turno, nem Paes nem Crivella. VOTO 13! Carta à Juventude do Rio de Janeiro

O segundo turno na cidade do Rio de Janeiro, com Crivella (Republicanos) e Eduardo Paes (Dem), diz muito sobre nosso futuro. Crivella representa o obscurantismo, atacou a arte, cultura, os servidores públicos – como no caso Guardiões do Crivella -, e deixou a cidade abandonada. Eduardo Paes é do partido do presidente da Câmara Rodrigo Maia (Dem) que retirou direitos com a reforma da previdência e trabalhista, defende o fim do auxílio emergencial e a destruição dos serviços públicos com a reforma administrativa. Ambos representam e atendem a outros interesses que são completamente opostos ao dos trabalhadores e da juventude do Rio.

Como pode o Diretório Municipal do PT do RJ chamar voto em Paes pedindo uma “agenda democrática e que atenda as demandas de qualidade de vida dos cariocas”? Mas, não foi exatamente o contrário que ele fez quando prefeito ao favorecer a especulação imobiliária e a máfia dos transportes, atacando o direito à moradia – como vimos na Vila Autódromo na zona oeste -, e desmantelando a saúde e educação públicas?

Como pode o PSOL defender voto em Paes como “veto a Crivella e ao bolsonarismo”, quando Paes, do DEM que sustenta a política de Bolsonaro, acaba de receber apoio de bolsonaristas como delegado Fernando Veloso (PSD), vice na chapa do deputado federal e candidato a prefeito Luiz Lima (PSL)? Como pode o PCdoB fazer o mesmo?

Votar no 13 e continuar a luta!

Estão certos os companheiros e companheiras do Diálogo e Ação Petista que chamam o voto 13 no segundo turno, afirmando que “nem Crivella, nem Paes farão diferente do que já fizeram na administração do Rio”.

É inaceitável o voto em Paes, após a campanha de Benedita da Silva, que recolocou o PT do Rio nas ruas, nas favelas, comunidades, vielas, da zona norte à sul, da zona sul à oeste, dialogando com os mais pobres, afirmando que defenderíamos os interesses do povo, da juventude, do trabalhador e trabalhadora carioca. Não dá para jogar fora os mais de 200 mil votos que recebemos com suor da militância e, dizer, agora que a saída é votar no Dem!

Os jovens precisam de emprego, bolsas estudantis e ampliação do passe livre. Votamos 13 demonstrando nossa total aversão aos dois candidatos que retiram direitos do povo e da juventude.

É o futuro dos jovens que está em jogo e, na cidade do Rio de Janeiro, uma cidade extremamente desigual, com uma das polícias que mais mata no país, dizer que Paes é alternativa é ir contra tudo o que construímos através da campanha da companheira Bené.

Chamamos a  Juventude do PT carioca a manter em pé nossa bandeira para reforçar nossa luta: dia 29 vamos votar 13. Nos dirigimos também aos jovens do PSOL, PCdoB, a juventude da favela e comunidades, dos grupos culturais, pastorais e entidades estudantis a resistir e ajudar a construir uma saída que derrote, verdadeiramente, o governo Bolsonaro e sua política apoiada pelos dois candidatos: nem Crivella nem Paes!.

Vamos lutar pelos nossos direitos, pelo nosso futuro!

Junte-se a nós!

24 de novembro de 2020

Juventude Revolução do PT do Rio de Janeiro.

Artigo anteriorDeclaração DAP: No 2º turno, a luta continua!
Próximo artigoEm Recife, DAP reforça campanha de Marília Arraes