O preço das vacinas

Uma (pequena) parte dos acordos secretos revelados por engano

Por meio de um descuido (um tweet inoportuno, em 17 de dezembro), a Ministra do Orçamento da Bélgica revelou uma informação que estava cuidadosamente escondida até agora: quanto A União Europeia e os governos pagaram pelas vacinas Covid desenvolvidas pelas grandes empresas farmacêuticas.

De fato, a UE tinha assinado acordos de confidencialidade e podemos ver porquê: a diferença de preços é de até oito vezes entre uma vacina e outra. Ou seja, pagaram 1,78 Euros a unidade para a Astrazeneca e 14,68 Euros para a Pfizer-BioNtech.

Uma diferença que se explica menos pela tecnologia mais ou menos inovadora dessas vacinas e mais pela nacionalidade dos laboratórios: “as empresas americanas cobram preços mais altos, mesmo por vacinas mais convencionais”, indica o jornal francês Le Monde, citando especialistas no assunto.

O diário lembra ainda que “a Comissão (Europeia) comprometeu-se a pagar, após a aprovação das vacinas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), por todas as encomendas efetuadas, independentemente da eficácia dos produtos.”

A Comissão também assumiu o compromisso de não revelar o valor final que será contratado para permitir que as empresas negociem livremente com outros atores internacionais.

Negócio é negócio…

Informações Operárias, Paris, 23/12/20

Artigo anteriorDiálogo e Ação Petista: “Maia não dá!”
Próximo artigoO papa contra o casamento de pessoas do mesmo sexo