Ato público pela reabertura do Hospital Sorocabano na capital paulista acontece nesta sexta feira (22)

Moradores, ativistas políticos, movimentos populares, associações e sindicatos se unem e realizam manifestação pública para exigir que o único hospital público da região da Lapa volte a funcionar.

A atividade será realizada com distanciamento social e uso de EPIs.

O Hospital Sorocabana, localizado próximo ao Mercado da Lapa, tem potencial para abrigar mais de 150 leitos que atenderiam pacientes da Covid-19 e continuaria em atividade após a pandemia.

Fechado desde 2010, o hospital atualmente abriga apenas uma unidade de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) e uma da Rede Hora Certa, em dois de seus sete andares. Antes de ser fechado, chegou a realizar mais de 20 mil atendimentos mensais.

Por isso, moradores região estão se unindo pela reabertura do Hospital Sorocabana. Uma campanha em curso já está nas redes sociais, com vídeos de artistas, políticos e personalidades.

O Hospital Sorocabana foi criado no ano de 1955 por uma associação de trabalhadores ferroviários.

Com o fim da ditadura militar, a promulgação da Constituição de 1988 e a criação do Sistema Único de Saúde (SUS), ele se tornou uma referência para população da região no acesso à saúde pública. Em 2010, sua administradora, a Associação Beneficente dos Hospitais Sorocabana, afirmando problemas financeiros fechou as portas do hospital.

O Hospital Sorocabana deve ser reaberto. É responsabilidade do poder público municipal e e estadual os meios para ser reaberto imediatamente.

A posse do terreno do imóvel do Hospital pertence ao estado de São Paulo. Em 2016 o governo estadual repassou para uso da prefeitura o terreno por 20 anos. Está em curso um processo de entrega definitiva para a secretaria  municipal de saúde.

A luta  pela reabertura do hospital só cresce agregando e unindo a comunidade de seu entorno. Com a crise de leitos hospitalares na cidade de São Paulo, a reabertura do hospital é urgente.

Entre as entidades sindicais que participaram do ato estão: Sindsep (Sindicato dos servidores municipais de São Paulo), Simesp (Sindicato dos Médicos de São Paulo) e  Sindsaúde-SP (Sindicato dos trabalhadores da saúde estadual).