Metalúrgicos param na Tupy de Joinville (SC)

1¼ de maio CUT 2010 - Memorial da AmŽrica Latina

Em 22 de agosto, centenas de operários metalúrgicos da empresa Tupy pararam na troca de turnos, atendendo ao chamado do Sindicato dos Metalúrgicos de Joinville (CUT).

A Tupy contratou recentemente trabalhadores com horários intermitentes – às sextas e sábados – com salários proporcionais às horas trabalhadas, o que resulta em menos da metade de um salário mínimo como pagamento.

Apesar do sindicato ter conseguido, na campanha salarial, impor uma cláusula que protege os trabalhadores da antirreforma trabalhista de Temer, a Tupy tentou furá-la com a introdução do trabalho intermitente. O sindicato exige da empresa o fim dessa prática precarizadora e que negocie um período diário para compensar a folga do sábado, sendo assim cumpridas as 44 horas semanais em 5 dias.

A assembleia aprovou que caso a empresa não retire a proposta, no dia 3 de setembro haverá um atraso de entrada de duas horas entre os turnos e, se insistir, haverá greve por tempo indeterminado.

Denis Beck