Ato pela vida do povo preto no Rio ecoa “Fora familícia”

Ato no Rio caminho pelas ruas desde o Palácio da Guanabara | Foto de Andre Mantelli

Um ato neste domingo (31) no Rio reuniu centenas de pessoas em defesa da vida do povo preto. O ato denunciou os assassinatos cometidos por policiais, em particular o recente assassinato de João Pedro, e se solidarizou com o povo dos EUA em luta desencadeada pelo assassinato de Geroge Floyd.

Em uma live transmitida na internet o ativista Raull Santiago, do Complexo do Alemão, afirmou que eles estavam ali para “tentar sobreviver ao vírus sem ter que se esquivar do tiroteio da polícia, sem ter que carregar os corpos dos nossos irmãos e das nossas irmãs.”

Um outro manifestante explicou em um jogral “a gente puxou esse ato porque não dava pra ficar em casa, pois eles vão nos matar dentro da nossa casa” e concluiu “nós somos o primeiro milhar, que vai virar milhões nesse país”.

Entre as palavras de ordem que se ouviram no ato estava “Fora Familicia” em referência ao governo Bolsonaro ocupa hoje o palácio do planalto cercado pelos seus filhos com enormes indícios de relação com a milícia

Ao final, apesar da dispersão organizada pelas entidades que convocaram o ato houve repressão policial.