Campanha pede o fim de perseguição contra trabalhadores da Saúde em Ribeirão Preto que denunciaram condições de trabalho

No último dia 23 de abril, dois servidores, dirigentes sindicais, foram surpreendidos com a instauração de processo administrativo no Hospital das clínicas em Ribeirão Preto. São os servidores Edson Fedelino, Diretor Regional do SINDSAÚDE-SP, e Lurdinha Farias, Delegada Sindical de Base do SINDSAÚDE-SP da Unidade de Emergência do Hospital das Clinicas.

No início de abril, o SINDSAÚDE-SP – sindicato que representa essa parcela dos servidores públicos paulistas -, em resposta a uma infinidade de problemas levantados pelos servidores do Hospital de Clínicas de Ribeirão Preto- SP, exigiu condições de trabalho e segurança para todos os servidores e a população no período de pandemia. Já naquele momento a situação era dramática e os servidores se sentiram obrigados a comprar com seus próprios recursos produtos que faltam para a proteção individual!

Mas em vez de cumprir com sua obrigação o superintendente do HC de Ribeirão Preto, Benedito Carlos Maciel, foi para a imprensa esconder a realidade, atacar o sindicato e fazer ameaças. No mesmo período, a direção do hospital organizava uma “VAKINHA” pela internet pedindo recursos para a população, uma prova cabal de que o Hospital não tinha os meios de atender à pandemia que apenas se iniciava.

Dias depois veio o processo administrativo. Diante dessa atitude revoltante, vários sindicatos, entidades e personalidades estão enviando moções, reivindicando que a superintendência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto “retire imediatamente a sindicância aberta contra, Edson Fedelino, Diretor Regional do SINDSAÚDE-SP, e Marilurdes Farias (Lurdinha Farias), Delegada Sindical de Base do SINDSAÚDE-SP e, abstenha-se de quaisquer ameaças de punição contra representantes do SINDSAÚDE-SP e qualquer outro sindicalista, sindicatos e trabalhadores.

Ao mesmo tempo, reiteramos o pedido do SINDISAÚDE-SP exigindo equipamentos de proteção individual (EPI’s), a fim de que os trabalhadores da Saúde tenham proteção e condições físicas e mentais, conforme orienta a OMS, para exercer sua insubstituível função”.

Para auxiliar nessa luta, pede-se o envio de moções para os e-mails:

arancine@hcrp.usp.br
sup@hcrp.usp.br
Ccopia: ribeiraopreto@sindsaudesp.org.br

Artigo anteriorMetalúrgica Albras aproveita pandemia para demitir em massa
Próximo artigoPT deve votar na câmara contra congelar salários dos servidores