Debate promovido pelo Diálogo e Ação Petista reforça a luta por uma Constituinte Soberana

Ato presencial ocorreu na quadra dos bancários, em SP e foi transmitido para todo o país

Reproduzimos matéria publicada no site do Diálogo e Ação Petista

No último sábado, 19 de março, cerca de 130 militantes participaram do debate presencial “A crise das instituições econômicas, sociais e políticas e a Constituinte Soberana”, promovido pelo Diálogo e Ação Petista, na Quadra dos Bancários, em São Paulo. O debate, com quatro exposições iniciais mais as falas de seis debatedores. Nessas intervenções, de dirigentes partidários, sindicalistas, intelectuais, jovens, um traço comum: não dá para fugir da discussão sobre a Constituinte, não há como ignorar a necessidade de transformações profundas no país, transformações que é impossível promover com as atuais instituições.

Uma outra conclusão: a Constituinte interessa ao conjunto do povo e só o povo, afirmando suas necessidades e reivindicações, pode dar o verdadeiro conteúdo de soberania a uma Constituinte. Como disse José Genoino, um dos expositores, “a Constituinte não é assunto para hermeneutas e juristas”.

O debate cumpriu o objetivo de ampliar essa discussão, fornecer elementos novos e enriquecedores. Vale registrar a fala de Jilmar Tatto: “Saio daqui mais convencido da necessidade de uma Constituinte”.

Ao final, num momento em que a guerra se desenvolve no coração da Europa e numa afirmação do caráter internacionalista do DAP, todos cantaram, punhos cerrados e erguidos, o hino da classe trabalhadora de todos os países, A Internacional.

A discussão vai prosseguir, porque é necessária, inclusive nesta campanha eleitoral que se inicia. Como vários afirmaram, Lula preidente deve convocar a Constituinte para poder governar, reconstruir e transformar o país.

Composição

A Mesa do debate foi presidida por Misa Boito, do Comitê Nacional do DAP e Diretório Nacional do PT, e secretariada por Jussara Goes, tesoureira do DAP municipal de São Paulo.

As exposições iniciais ficaram a cargo de Luiz Eduardo Greenhalgh (Comitê Nacional do DAP e advogado de Lula), José Genoino (ex-deputado constituinte  ex-presidente nacional do PT), Markus Sokol (Executiva nacional do PT e Comitê Nacional do DAP) e Paulo Moreira Leite (jornalista do Brasil 247).

Os debatedores foram Jilmar Tatto (secretário nacional de Comunicação do PT), Alessandro Soares (professor de Direito da Universidade Mackenzie), Edison Cardoni (Confederação Democrática dos Servidores Públicos Federais, Condsef), Kris Mackleiny (Juventude Revolução do PT), Marcelo Mendes (executiva do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco) e René Munaro (presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Florianópolis).

Por motivos de saúde, não puderam comparecer Júlio Turra (Comitê Internacional de Ligação e Intercâmbio-CILI), Sérgio Ronaldo (secretário-geral da Condsef-CUT) e Regina Lúcia Santos (coordenadora do Movimento Negro Unificado-MNU/SP).

Artigo anteriorSolidariedade à jornalista Marina Ovsyannikova
Próximo artigoEleições na França: Mélenchon faz demonstração de força e acredita mais do que nunca no segundo turno