Hospital Universitário no Ceará tem falta de Equipamentos de Segurança

Os trabalhadores do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), ligado à Universidade Federal do Ceará (UFC) e gerido pela Empresa Brasileira de Recursos Hospitalares (EBSERH), estão inseguros pela falta de EPIs.

Em vários setores do hospital há casos de afastamento de trabalhadores por contágio ou suspeita de infecção por coronavírus. Com a falta de EPIs, a administração do HU faz a “escolha de Sofia”: prioriza o seu uso por aqueles que cuidam diretamente de pacientes infectados, em detrimento dos que manipulam materiais contaminados na limpeza, lavanderia e copa, os quais usam apenas uma máscara cirúrgica em plantões de seis horas, quando deveriam ser trocadas a cada duas horas.

Há outras formas de contaminação pela má estrutura hospitalar, tais como aglomerações no refeitório, falta de local apropriado para repouso de profissionais e plantonistas (serviço noturno).

A FASUBRA, federação nacional dos sindicatos de servidores técnicos e administrativos das universidades públicas, diante dessa situação crítica da qual o Hospital da UFC é apenas um exemplo, deve cobrar das reitorias que atuem junto à EBSERH e às autoridades sanitárias para que sejam fornecidos os EPIs que garantam a segurança dos trabalhadores hospitalares, bem como a garantia de seus direitos como servidores. É a tarefa da hora.

Evaldo Varela

Artigo anterior“Sistema entrou em colapso e trabalhadores estão pagando conta com a própria vida” afirma sindicalista do Amazonas
Próximo artigoCombate à pandemia nos EUA é caótico