📰 Confira a edição na íntegra

Confira abaixo o índice da edição:

Página 1 (Capa)

– Chamada Greves: Itu, Mogi, Professores.
– Chamada “Eleições: em quem votar?”
– Chamada “Portugal, falam os deputados operários”
– Chamada “Metalurgicos dia 18, Ato Público”, Oposição metalúrgica de São Paulo

– Editorial:
“Diante do crescimento da campanha salarial entre os bancários, com ameaças de paralisação nos bancos de São Paulo e Rio de Janeiro, e da possibilidade de greve também entre os 10 mil operários da COSIPA e estivadores de Santos, o governo tentou responder com o único instrumento que sabe manejar: a repressão.
– Chamada: Há 38 anos Stálin assassinava Trotsky

Página 2

– Mobilização na Light: As luzes podem apagar
“Por pouco o setor de operação da Light não entrou em greve no inicio deste mês, depois de forçar o Sindicato a realizar uma assembleia para discutir a questão salarial.”

– Médicos: a luta continua
“ ‘Estatizaram a medicina, privatizaram o atendimento e socializaram o médico’, assim um professor de medicina definia – no auge da mobilização dos médicos e funcionários dos hospitais das clínicas e do servidor público – a grande contradição da política Nacional de saúde instaurada no país após 1964.”

– Sai aumento nas folhas
“Depois de várias semanas mobilizados, os jornalistas do Grupo Folhas conseguiram finalmente arrancar o seu aumento salarial: 14% para os que ganham até Cr$12 mil; 10% sobre Cr$ 12mil e 4% sobre a diferença para os que ganham entre Cr$12 e Cr$25mil.; e um aumento fixo de mil cruzeiros para a faixa acima de Cr$25mil.”

– Greve na Bayer obtém aumento
“No dia 9 de agosto, quarta feira, ao meio dia, os 250 operários do setor de defensivos agrícolas da fábrica da Bayer em Socorro, na zona sul de São Paulo, entraram em greve reivindicando 30% de aumento, além dos 20% de antecipação que a empresa já havia dado (10% em abril e outros 10% em agosto)”

– A greve dos biólogos
“Os estudantes de Biologia de quatro cidades brasileiras – São Paulo, Porto Alegre, Botucatu e Belo Horizonte – estão em greve, como protesto ao projeto de regulamentação da profissão de biomédico, atualmente tramitando pelo Senado Federal.”

– PertiCamps: Péssimas condições levam à greve
“Revoltados contra as condições de trabalho da Perti Camps (Lapa – SP), os operários do setor de injeção pararam.”

– Vem aí a UNE
“Cerca de mil estudantes compareceram ao ato público de comemoração aos 75 anos de fundação do Centro Acadêmico XI de agosto, da Faculdade de Direito da USP. A manifestação foi a primeira realizada em praça pública, desde a invasão da PUC no ano passado e, apesar das universidades ainda estarem vazias por ser inicio de aulas, foram muitos os que acorreram ao Largo São Francisco.”

– C.A. Livre na Cásper
“Após um ano de lutas contra a repressão da direção da escola e grupos que boicotavam a criação de uma entidade Livre e independente os estudantes da Faculdade de Jornalismo da Cásper Líbero, reunidos em assembleia geral, decidiram por unanimidade a fundação do Centro Acadêmico, que levará o nome de Wladimir Herzog, jornalista assassinado no Doi-Codi em 1975.”

– Expediente
“Editores: Paulo Moreira Leite, Edmundo Machado, Arthur Pereira Filho, Paulo Nogueira, José Roberto Campos e Celso Marcondes”.

Página 3

– Aumento em Itu sai na marra
“Depois de 17 dias de greve, enfrentando fome, polícia e perseguição dos patrões, 1800 operários de 27 fábricas de cerâmica de Itu conseguiram uma vitória: aumento de 15% , dividido em duas vezes (7,5% em novembro e 7,5% em janeiro), e aumento do piso salarial de 1583,00 para 1983,00, sendo que este último será compensado no dissídio, em outubro.”

– Repressão contra a oposição Bancária
“Após a Assembleia Geral Extraordinária dos Bancários, realizada no dia 27/7, dando continuidade à campanha salarial da categoria, 5 funcionários do Banespa foram suspensos por tempo indeterminado, para abertura de inquérito judicial, sob acusação de “mentores” da greve dos funcionários da Baneser S/A Serviços técnicos e administrativos.”

– Em Mogi, pelego faz frente com patrão
“Em Mogi das Cruzes, os 3.150 operários da COSIM (Companhia Siderúrgica de Mogi das Cruzes) viveram uma experiência que os metalúrgicos da Grande São Paulo São Paulo já conhecem há muito tempo: ao iniciarem a sua luta por melhores salários e condições de trabalho, toparam com a presença desmobilizadora do pelego, instrumento da atual estrutura dos sindicatos.”

Página 4 e 5

– Eleições
-“Que os dois partidos se consolidem” (Geisel)
– Fernando Henrique, o Polivalente
– Encontro: Unidade contra os patrões
– Os “Autênticos”: da CNTI ao MDB

Página 6

– Trotsky: A morte do último líder de outubro
“No dia 20 de agosto de 1940 em Coyacán, México era assassinado Leon Trotsky, o líder que, por duas vezes, fora presidente do Soviet de Petrogrado, em 1905 e em 1917; antigo dirigente do Comitê Central do Partido Bolchevique; e comandante do Exército Vermelho que enfrentou e venceu mais de dez potências estrangeiras durante a Guerra Civil”.

Página 7

– Portugal: “Por um governo do PC-PS”
Entrevista com Carmelinda Pereira e Aires Rodrigues, que foram eleitos deputados socialistas à Assembleia portuguesa em 25 de abril de 1976.

– Peru: Entrevista
“Com a palavra, um deputado operário”

Página 8

– Professores em greve
“Os professores vão parar. Numa assembleia dos municipais, com mais de 300 pessoas realizada dia 11, eles decidiram que no próximo dia 21 batem o ponto, entram nas escolas mas não trabalham. Com os alunos irão discutir os objetivos do seu movimento e depois distribuir uma carta aberta aos pais e à população em geral.”

– 40 mil param no Paraná
“No ano passado os professores do Paraná colocaram tarjas negras nos braços e organizaram concentrações para protestar contra o Estatuto do Magistério. Agora, para reivindicar a elevação do piso salarial de 1600 a 5000 cruzeiros, deflagraram uma greve, que já atingiu 32 cidades.”

– A oposição no SINPRO
“Para defenderem seus interesses e direitos, atacados de todas as formas nos últimos 14 anos, os professores não encontraram nenhum canal de organização”.

📰 Confira a edição na íntegra