Continua campanha na EBC-RJ

A campanha iniciada no Rio pelos sindicatos dos radialistas, jornalistas, servidores federais e pela comissão de empregados da EBC-RJ, em defesa da saúde dos trabalhadores em serviço essencial, já havia ampliado a sua pauta para a defesa do emprego, salários e direitos e agora também em defesa da Empresa Brasil de Comunicação contra a sua privatização, anunciada pelo governo Bolsonaro em decreto no dia 21 de maio.

A campanha já recebeu apoio de entidades nacionais, como a CUT, Central de Movimentos Populares (CMP), ABI, CNM-CUT, Condsef, Fitert, de sindicatos locais e de outros estados, além de parlamentares, como os deputados federais Vicentinho (PT-SP) e Benedita da Silva (PT-RJ), artistas e profissionais da comunicação.

O prefeito do Rio, Crivela, iniciou a flexibilização do isolamento na cidade que tem o maior número de mortes diárias do país e um sistema de saúde em colapso. Os sindicatos estaduais e a comissão de empregados da EBC-RJ estão orientando os trabalhadores, em caso de volta ao trabalho presencial de todos, a se utilizarem da cláusula de seu Acordo Coletivo que estabelece: “A EBC garante aos empregados o direito de se ausentarem do local de trabalho, após comunicação à chefia imediata, sempre que se apresentarem iminente risco e/ou condições adversas à saúde.”

Nilton de Martins

Artigo anteriorMP 936 aprovada na Câmara, “vitórias” do movimento sindical?
Próximo artigoEm São Leopoldo (RS), professores e estudantes se manifestam