Direto da caravana: de Chapecó a São Miguel d’Oeste, Lula nos braços do povo enfrenta a violência

Depois da importante recepção em Florianópolis ontem (sábado, 24) a caravana Lula rumou no mesmo dia em direção à Chapecó, no interior de Santa Catarina.

Mais uma vez uma manifestação com cerca de 500 garotos do MBL, ruralistas, riquinhos, bolsominions e fascistas, tentou atacar a caravana, enquanto a PM “assistia”. Não conseguiram impedir a passagem, mas agrediram vários companheiros e companheiras. Paulo Frateschi, por exemplo, tomou uma pedrada para evitar que atingisse Lula. Teve um pedaço da orelha cortada.

Mesmo com a forte chuva que assolou a cidade ao longo de todo o dia, mais de 7 mil pessoas, guarda-chuva na mão já tarde da noite, apareceram para ouvir e defender Lula, que apesar das ameaças e agressões mantém a mobilização e recebeu do povo uma calorosa recepção transformada num cordão humano de proteção para deixa-lo em segurança no hotel. Lula saiu de Chapecó consagrado, nos braços do povo.

29352212_1640251022710558_5189963494390970702_o (1)

A caravana prosseguiu neste domingo, de Novo Erechim e São Miguel d’Oeste

No domingo a caravana foi em direção a Nova Erechim, área forte da agricultura Familiar. Mais de 300 trabalhadores e trabalhadoras receberam a caravana com os Gaiteiros tocando músicas de colono e puxando “eleição sem Lula é o que?” Ao que povo respondia “é fraude”.

Lula novo erechim 2

Tomaram a palavra companheiros da FETRAF-SC (trabalhadores da agricultura familiar) e CRESOL (Cooperativa de Crédito Solidário), que fizeram a denúncia das consequências do fim do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) e apresentaram reivindicações e propostas para um futuro governo Lula.

Também falou Rosane Bertotti da CUT Nacional que é da região, além de parlamentares do PT, destacando as melhorias de crédito, distribuição, educação (como a criação de uma universidade federal na região). Os trabalhadores ofereceram cestas com seus produtos alimentares de presente.

Um deles se aproximou com uma cesta diferente, e explicou: “É um pelego (uma espécie de pele com lã que se coloca no arreios para tornar o assento do cavaleiro mais confortável) mas é pra sentar, não é pra coligar…” Mesmo em tom de brincadeira, foi entendido!

28954497_1641133212622339_8263811591684251886_o (1)

Lula retomou o sentido da Caravana, reconheceu algumas leis suas em favor da agricultura familiar “descobri outro dia que não foram regulamentadas pelo ministério da Agricultura”. Ele assumiu vários compromissos com as reivindicações de “preço mínimo necessário para o leite” por exemplo, “porque nenhuma multinacional vai chupar o sangue mais de vocês”.

Em São Miguel d’Oeste a caravana visitou a Cooperoeste, da Via  Campesina (MST), que tem 150 operários, 2000 famílias de produtores, principalmente de leite. Lula foi recebido por cerca de 300 pessoas. Vilson Santim, assentado do MST, saudou Lula e cobrou apoio. Lula respondeu “Quero voltar porque tenho clareza do que deixei de fazer. Fizemos leis que não foram regulamentadas pelos burocratas, que são os mesmos que atendem os grandes e não atendem os pequenos, e não podem ser os mesmos burocratas. Quero mexer nisso.

Vamos precisar revogar tudo, por exemplo, o teto de gastos, se não, não faço nada. Vamos precisar orientar o voto, os deputados federais na nossa chapa só entram os que tem compromisso, porque vamos precisar de uma Constituinte, pois já rasgaram a Constituinte que teve. Quero voltar para consertar o país, fazer a reforma agrária, regularizar as terras quilombolas e as terras indígenas, fazer uma reforma tributária, isentando do Imposto de Renda quem ganha menos de 5 salários mínimos, pra os ricos pagarem, taxando as heranças e os lucros”

Atentado contra o ex presidente

Na estrada rumo a São Miguel novos episódios de violência, mais uma chuva de ovos e pedras. O mesmo grupo persegue o presidente por toda a região Sul, enquanto a PM, em geral continua assistindo. Uma das pedras estourou um vidro dianteiro do ônibus e poderia ter causado uma tragédia, evitada pela experiência do motorista.

Lula Onibus atacado

No Palanque, diante de 4 mil pessoas, Gleisi denunciou ”jogaram pedra no motorista do ônibus que podia provocar uma tragédia. Foi um atentado ao presidente!”

Paulo Pimenta registrou que fizeram um B.O. contra 3 identificados do grupo.

A temperatura continua subindo com ataques e ameaças violentas. Mas a caravana Lula pelo Sul continua!

Markus Sokol

Artigo anteriorEleições presidenciais no México
Próximo artigoDireto da caravana: Lula segue no Paraná e chega em Seminário Internacional na tríplice fronteira