Pisão em pescoço “necessário”?!

A justiça militar do estado de São Paulo inocentou o policial militar João Paulo Servato que pisou no pescoço de uma mulher negra, de 53 anos, com a desculpa de imobilizá-la em maio de 2020, em Parelheiros, na zona sul paulistana.

A vítima da violência policial pediu que sua identidade não fosse revelada, mas de acordo com o que foi amplamente divulgado à época pela imprensa, se tratava de uma comerciante que tentou impedir que dois clientes seus sofressem uma brutal agressão pelos PMs.

Apesar das imagens em vídeo mostrarem claramente a ação desproporcional e violenta de Servato, que além de pisar no pescoço da mulher, quebrou sua perna, a Justiça Militar declarou em sentença que as imagens “mostraram menos que 10% de tudo que ocorreu” e por isso não poderiam “comprovar o que ali aconteceu e a verdadeira dinâmica do evento”.

A sentença ainda defende que “embora tecnicamente incorreta” a postura do PM em colocar o pé sobre o pescoço da mulher foi um procedimento “não criminoso e necessário”.

Necessário pra quem? Para o povo, necessário é a desmilitarização da PM.

Artigo anteriorLili, com Lula nas ruas, para mudar o Brasil!
Próximo artigoReino Unido vive onda de greves