Quem pode pôr fim a essa agonia?

33 milhões de brasileiros passam fome, mais duas vítimas de assassinato na Amazônia e o execrável que habita o Planalto faz escárnio e se diverte em motociatas! Esta verdadeira afronta à nação brasileira e seu povo trabalhador só permanece porque, por cima, há quem o sustente. O Congresso comprado pelo centrão dono do orçamento secreto e que vota, dia sim outro também, medidas contra o povo, o judiciário que faz cara de quem não gosta mas deixa rolar, e “la nave va”. Bolsonaro segue sua rota destruidora.

O chocante dado de que 33 milhões de pessoas não têm o que comer, o desmantelamento da Funai, ocupada pelos milicos, que faz do Vale do Javari uma terra onde quem manda é bandido e assassino, como os que mataram Bruno e Dom, este é o retrato do Brasil herdado do golpe de 2016. Já lá, quando ficou claríssimo, para quem pudesse ter dúvida, o papel do Congresso e do Judiciário em benefício da classe dominante brasileira.

Tirando a conclusão sobre aquela situação o PT, em seu 6º Congresso (2017), adotou uma resolução, reafirmada no 7º Congresso  (2019), que dizia: “é necessária a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte, livre, democrática e soberana, que revogue as medias antipopulares e antinacionais de Temer, reforme as instituições, fortaleça o Estado, realize a reforma tributária, empreenda a democratização das comunicações, a reforma agrária, com preservação ecológica, a reforma urbana e a proteção ambiental, a reforma do Judiciário, assegure e amplie a oferta e a qualidade dos direitos sociais, promova a justiça social e fortaleça a democracia”.

Desde então a situação só se agravou e esta necessidade é mais aguda ainda! 

É este país que é preciso reconstruir e transformar: retirar da fome os milhões de brasileiros; retomar o fortalecimento dos órgãos governamentais que fiscalizam a Amazônia contra a ofensiva depredadora de madeireiros, mineradores e que tais; reerguer a educação pública; retomar direitos solapados…a lista é longa. E com o atual Congresso dominado pelo centrão – e assim seguirá pelas regras antidemocráticas que regem as eleições para Câmara e Senado – e este Judiciário – que extrapola, legislando sobre tudo, mas suspendeu o julgamento do marco temporal para demarcação das terras indígenas, para não melindrar o presidente, por aí não haverá saída. A saída é Constituinte com Lula!

São os trabalhadores que perdem salários e direitos, são os jovens que perdem o futuro, são os negros, vítimas de genocídio e de uma desigualdade por conta do racismo estrutural, são as mulheres, cada vez mais vítimas da desigualdade e da violência, são os trabalhadores sem-terra que não podem produzir porque a terra está na mão de poucos; são os indígenas que estão sendo dizimados, são os que passam fome, enfim é ao povo que é preciso dar a palavra!  É daí que virão os votos para eleger Lula. Dar-lhes a palavra e o poder para dizerem que país queremos é o caminho para que um novo governo do PT desfaça o que deve ser desfeito (as medidas tomadas desde o golpe) e faça o que tem que ser feito (realize as reformas para uma transformação profunda do país).

Com o Diálogo e Ação Petista, mesmo se a esmagadora maioria do Diretório Nacional do PT rejeitou apresentar nas diretrizes de programa do Lula a proposta da Constituinte (pág. 4) reafirmamos: é o povo que pode colocar fim a esta agonia de todos os dias. Dia 2 de julho nos encontramos no ato pela “Constituinte com Lula”!

Artigo anteriorPetro e Francia abrem portas na Colômbia!
Próximo artigoNa França, Macron derrotado