Servidores públicos de Volta Redonda fazem paralisação de 24 horas

Nesta segunda-feira (13), diversos setores do serviço público de Volta Redonda, no interior do Rio de Janeiro, paralisaram diante do pacote de maldades do prefeito Samuca (PSC). O governo anunciou o decreto nº 16.229 que parcelava o pagamento dos servidores. Somado aos ataques anteriores feitos pelo governo como a falta de EPI nos locais de trabalho, ameaça de demissões de contratados – como fez com as mais de 200 merendeiras e faxineiras terceirizadas – e alto assédio nos postos de trabalho, os servidores decidiram cruzar os braços, como resposta ao governo.

A mobilização foi construída a partir da iniciativa do agrupamento “Servidores VR em Luta”, que reuniu mais de 200 servidores em discussão online e que lançou uma carta à direção do Sindicato dos Servidores cobrando assembleia para deliberar uma paralisação de 24 horas, como aviso ao governo, e ato com buzinaço ao fim do dia. Após forte intervenção do agrupamento, a paralisação foi aprovada.

Diversos setores paralisaram
Durante todo o dia setores como educação, todo o RH da Fundação Beatriz Gama (que acolhe crianças vítimas de maus tratos), alguns postos de saúde e a Secretaria de Infraestrutura (antiga secretaria de obras) estavam paralisados. Vendo a força do movimento, o governo chamou à negociação, marcada para a próxima quarta (15), às 14 horas. Mesmo dia da assembleia dos servidores que discutirá o que foi apresentado pelo governo e os rumos da luta.

Não ao pacote de maldades do governo Samuca!

Filipe Pirra

Artigo anterior90% das verbas de pesquisa estão bloqueadas
Próximo artigoManifestação no Campo Limpo, em São Paulo, defende hospital 100% público